domingo, 9 de dezembro de 2012

1º Seminário do Projeto Ver com as Mãos: A Importância do Ensino da Arte para Alunos com Deficiência Visual


O 1º SEMINÁRIO DO PROJETO VER COM AS MÃOS: A importância do Ensino da Arte para alunos com deficiência visual
é o resultado das ações realizadas no ano de 2012 junto aos alunos do Instituto Paranaense de Cegos. É hora de convidar educadores, professores de Arte, equipes de museus, comunidade científica e seus parceiros para compartilhar os avanços realizados e discutir a questão do ensino da Arte para as pessoas com deficiência visual, o acesso aos espaços museológicos e a importância da formação do professor para que tenhamos espaços efetivos de inclusão.

O evento será realizado no dia 14 de dezembro (sexta) no período da manhã e tarde e contará com a presença de especialistas e pesquisadores da área debatendo o tema, da mostra de resultados das ações do Projeto no ano de 2012 apresentados pelos alunos da Faculdade de Artes do Paraná (FAP), e da fala dos alunos participantes do projeto.







PROGRAMAÇÃO

MANHÃ
09h – Abertura do Evento
Prof. Ms. Enio Rodrigues da Rosa (Administrador do Instituto Paranaense de Cegos)

9h15 – Projeto Ver com as Mãos: os avanços obtidos em 2012
Profª. Ms. Diele Fernanda Pedrozo de Morais (Coordenadora do Projeto Ver com as Mãos)

Mesa redonda
10h – O Programa Igual Diferente e a Acessibilidade no Museu de Arte Moderna de São Paulo
Carolina da Costa Angelo (Equipe da Ação Educativa – MAM)

10h30 – Uma trajetória como “escultor-ceramista-professor-artista” sem a visão
Prof. Rogério Ratão (Professor-artista no programa Igual Diferente do MAM-SP)

11h – A importância da formação dos professores no ensino da Arte para alunos com deficiência visual
Profa. Ms. Rosanny Moraes de Morais Teixeira (Faculdade de Artes do Paraná – FAP)

11h30 Por que ensinar Artes Visuais para alunos cegos ou com baixa visão? Um relato de experiência.
Profa. Esp. Ana Paula de Oliveira (Atendimento Educacional Especializado do Instituto Paranaense de Cegos – IPC)
Prof. Esp. Ricardo José de Lima (Departamento de Educação Especial e Inclusão Educacional – DEEIN/SEED)
Mediador: Prof. Dr. Paulo Ricardo Ross (Universidade Federal do Paraná – UFPR)


TARDE
13h30 – Projeto Ver com as Mãos: “Nós também vamos ao Museu”
Profa. Ms. Diele Fernanda Pedrozo de Morais (Coordenadora do Projeto Ver com as Mãos)

14h – Oficina de Arte
Kamila Bonatto Tavares (Estagiária do Projeto Ver com as Mãos e acadêmica do curso de Licenciatura em Arte Visuais – FAP)

14h30 Oficina de Música
Profa. Amanda Nicolau (Professora voluntária do IPC desde 2008 e ministrante da Oficina de Música)

15h – A importância da Arte para nós: Um relato dos alunos participantes do Projeto
Alunos: Phelipe Tisoni, Luis Gustavo e Thais Cristina Castanho
15h30 – Apresentação Musical e Exposição de Trabalhos dos alunos




 Ficha de Inscrição

1º SEMINÁRIO DO PROJETO VER COM AS MÃOS:
A importância do Ensino da Arte para alunos com deficiência visual
                
DATA: 14 DE DEZEMBRO DE 2012 (sexta-feira)
LOCAL: AUDITÓRIO DA FACULDADE DE ARTES DO PARANÁ
(Rua dos Funcionários, 1357, Cabral - Curitiba /PR)


FICHA DE INSCRIÇÃO


NOME:
ENDEREÇO:
TELEFONE:
E-MAIL:

Assinale a opção que se refere a sua atividade profissional:

Professor(a) de Arte (  )
Escola:

Professor(a) de Educação Especial (  )
Escola:

Estudante de Arte (  )
Faculdade/Universidade:

Equipe de Ação Educativa (  )
Museu:

Já conhece o Projeto Ver com as Mãos? (  ) SIM     (   ) NÃO

Como ficou sabendo do seminário?



INSCRIÇÕES
As inscrições devem ser feitas até dia 13/12, só serão aceitas mediante o envio deste Formulário de Inscrição devidamente preenchido para o e-mail: vercomasmaos.ipc@hotmail.com, inserindo no campo Assunto: inscrição + nome do participante.
Contato: 3342-6690



Apoio: Criança Esperança 2012
Parcerias: Faculdade de Artes do Paraná (FAP) e Embaixada da Finlândia


domingo, 2 de dezembro de 2012

Jovens do IPC viajam à São Paulo para conhecer o MAM e participar de programação cultural inclusiva.


Na última sexta-feira, 30 alunos participantes do Projeto Ver com as Mãos e Teatralizando a Educação terão a oportunidade de viajar para São Paulo para conhecer o Museu de Arte Moderna (MAM) e participar da virada inclusiva! Essa viagem só foi possível pelo financiamento da Embaixada da Finlândia, parceira do IPC que irá custear todos as despesas da viagem referente ao projeto "Nós também vamos ao Museu"!

Profº Enio recebe homenagem na Câmera Municipal de Curitiba

Realizada no dia 22 de novembro na Câmara Municipal de Curitiba a entrega do Prêmio João Crisóstomo Arns, homenageando 34 pessoas da cidade que se destacaram nas áreas de educação e cultura. O Prof. Msc Enio Rodrigues da Rosa, administrador do IPC foi um dos homenageados. Deixamos aqui nossa admiração pelas conquistas alcançadas para o IPC, e também o agradecimento do Vereador Pedro Paulo (PT) pela merecida indicação.

segunda-feira, 12 de novembro de 2012

VII Seminário de Educação Especial - Inscrições Abertas


Ao completar 15 anos de atuação, o PEE foca a educação inclusiva, ampliando o debate em frentes que compõem os seminários. O aprofundamento do conhecimento a respeito do alunado que é público-alvo da Educação Especial, com práticas pedagógicas; a formação de professores que traz a exposição dos projetos desenvolvidos em escolas da região pelos participantes do projeto MEC/SESu – PROEXT 2010, nas área da deficiência física e visual; as atualizações sobre a acessibilidade nas comunicações e a melhoria das condições da mobilidade urbana, inserindo informações sobre sistemas tecnológicos para avaliar os projetos implantados.

Além das palestras e mesas propostas nestes seminários, serão realizadas 10 oficinas com temas que tratam da questão da inclusão escolar e da educação especial, com algumas questões relacionadas às discussões mais recentes, tais como: a educação da pessoa com autismo e a da com deficiência intelectual, outras que tratam da estimulação precoce, da psicomotricidade, da língua portuguesa para surdos, da deficiência física e os processos de reabilitação, entre outras que já ocorreram em seminários anteriores, mas que ainda são motivos de discussões entre os profissionais que atuam na educação especial e inclusiva, assim como aqueles de áreas que compõem a rede de apoio à inclusão escolar.

Todas as questões discutidas nos seminários desenvolvem um ambiente favorável para fortalecer a concepção da pessoa com deficiência, o amplo leque de serviços que são fundamentais para os processos de educação e reabilitação, possibilitando avanços no sentido de reduzir barreiras atitudinais, na comunicação e arquitetônicas, ainda presentes na sociedade.


Promoção

Programa Institucional de Ações Relativas às Pessoas com Necessidades Especiais - PEE UNIOESTE-PR
Programação do X Seminário de Educação Especial e V Seminário de Acessibilidade

Data: 26 a 28 de Novembro de 2012

Segunda-Feira (26/11/2012)
Terça-Feira Oficinas (27/11/2012)
Quarta-Feira (28/11/2012)

26 de Novembro: Segunda-feira

 Manhã

 08:00 horas: Credenciamento e Coffee Break.
 09:00 horas: Abertura Oficial com apresentação cultural  09:30 horas:
Mesa: Acessibilidade na comunicação e informação
Palestrante: Prof. Neivaldo Augusto Zovico Consultor em Acessibilidade para comunicação de Pessoas Surdas e com Deficiência Auditiva e Coordenador Nacional de Acessibilidade para Surdos da FENEIS.
Palestrante: Representante da Secretaria Nacional de Promoção dos Direitos da Pessoa com Deficiência

 11:15 horas: Debates
 12:00 horas: Intervalo para almoço.

 Tarde

• 13:30 horas:
Palestra: A nova lei de mobilidade urbana
Palestrante: Representante da Secretaria Nacional de Acessibilidade e Programas Urbanos

Palestra: A acessibilidade da cidade de Uberlândia
Palestrante: Engº Gilmar Borges Rabelo. Mestre em Transportes pela FECIV/UFU; Assessor de Mobilidade Urbana da Superintendência da Pessoa com Deficiência e Mobilidade Urbana da Prefeitura de Uberlândia.
 15:00 horas: Coffee Break.
 15:20 horas:
Palestra: Programa: Calçadas de Cascavel
Palestrante: Arqtª Janeceli Caetano da Silva

 15:50 horas:
Palestra: Sistema para vistoria sobre acessibilidade - software SVA
Palestrante: Prof. Emiliano Monteiro Soares. Cursou Engenharia Florestal e Geografia pela UFMT; Mestre em Ciência da Computação pela UFSC.

 16:30 horas: Debates
 17:30 horas: Encerramento.

Terça-Feira
Oficinas (27/11/2012)

27 de Novembro: Terça-feira
Manhã ?08:00 horas: Início com Coffee Break.
09:30 horas:

Mesa: Educação da pessoa com deficiência


Palestra: A educação do aluno autista
Palestrante: Miguel Higuera Cancino – Fonoaudiólogo do Instituto Dynamis – Blumenau - SC

Palestra: Inclusão Escolar na área da Deficiência Intelectual: análise de politicas e práticas
Palestrante: Profª Drª Anna Augusta Sampaio de OliveiraDocente de graduação e pós-graduação da Unesp – Marilia - SP


11:15 horas: Debates
12:00 horas: Intervalo para almoço.


Tarde: 13:30 horas:

1.Oficina Autismo, criança e a família. Ministrante: Prof. Miguel Higuera Cancino 
2.Oficina Surdocegueira. Ministrante: Prof.ª Santa Terezinha F. Lavarda 
3.Oficina O uso do software Mec Daisy no processo de escolarização da pessoa com deficiência visual. Ministrante: Profª Patrícia Silva Zanetti 
4.Oficina Avaliação Pedagógica na área da Deficiência Intelectual: como fazer. Ministrante: Prof.ª Dr.ª Anna Augusta Sampaio de Oliveira 
5.Oficina Contribuições da psicomotricidade para alunos com deficiência. Ministrante: Prof. Douglas Borela, Fisiot. Jalusa Andréia Storch e Ac.Gabriela Simone Harnisch 
6.Oficina Trabalhando com alunos com altas habilidades. Ministrante: Prof.ª Michelle Silvestre Cabral 7.Oficina Relações: Intérprete - Aluno - Professor. Ministrante: Professores Roberto Mazacotte, Carla Elisa Santos e Grazielle Cantelle 
8.Oficina Ensino da língua portuguesa para surdos. Ministrante: Profa. Tânia Aparecida Martins e Prof. Heloir Aparecido Montanher 
9.Oficina Deficiência física e o processo de reabilitação. Ministrante: Prof. Dr. Fernando Aragão 
10.Oficina Estimulação motora em bebes. Ministrante: Profa. Helenara Salvatti



INSCRIÇÕES GRATUITAS
Período para inscrição: Início 05 de Novembro de 2012 e término até finalizar 450 vagas.
OBS: as inscrições são apenas pelo site:
Vagas limitadas (450 vagas)

Maiores informações: seminariopee2012@unioeste.br
(45) 3220-3281 - Unioeste/PEE - Campus Cascavel





Apoio

Projeto MEC/SESu- Proext - 2010 - MEC/SESu Pró-Reitora de Extensão - PROEX Direção Geral do Campus de Cascavel - UNIOESTE Centro de Educação, Comunicação e Arte - CECA Centro de Reabilitação Física da Unioeste - CRF Comissão Permanente de Acessibilidade - CPA/SEPLAN/PREF CASCAVEL Fórum Municipal em Defesa dos Direitos das Pessoas com Deficiência de Cascavel Associação dos Engenheiros e Arquitetos de Cascavel - AEAC

domingo, 28 de outubro de 2012

Atletas do IPC conquistam Medalhas e são convocados para a Seleção Paranaense de Atletismo.

Juliana Luccas dos Santos e a paratleta Teresinha Guilhermina
a cega mais rápida do Mundo.
O Projeto Clube Escolar Paralímpico da APP Paranaguá - Associação Paralímpica de Paranaguá, sob coordenação do Professor Mario Sérgio Fontes, é mantido pelo Comitê Paralímpico Brasileiro é um programa do Comitê Paralímpico Brasileiro para incentivar às categorias de base do desporto paralímpico nacional. O objetivo é promover a prática esportiva formal para crianças e jovens com deficiência, matriculadas em instituições de ensino formal. Dessa forma, acredita-se que novos talentos serão detectados e treinados para os Jogos do Rio de Janeiro, em 2016. Nossos alunos bolsistas do TOP 2016 -  programa do Governo do Estado do Paraná que tem por objetivo fomentar a prática esportiva e descobrir potenciais visando as Olimpíadas de 2016 e 2020 - são Valéria Roberto (atleta velocista), Luis Gustavo M. Andrade (atleta do futebol de cinco); Alexsandro de Oliveira (atleta velocista e segundo lugar nacional em 100 e 300 metros, primeiro lugar nacional nos 1000 M., Juliana Luccas dos Santos - atleta velocista, segundo lugar nacional em 100 e 300 metros, primeiro em 100 e 300 metros nacional nos 1000 M - resultados obtidos nas Paraolimpíadas Escolares em São Paulo. Todos eles passaram pela fase regional que aconteceu em Toledo e Francisco Beltrão e a partir de suas classificações é que foram convocados para a Seleção Paranaense de Atletismo, que e nossa Professora Silmara França foi convocada como técnica de atletismo.


quarta-feira, 26 de setembro de 2012

Mensagem do Profº Enio Rodrigues Rosa

Hoje, dia 25 de setembro de 2012, realmente é uma data muito especial para mim. Há três anos atrás, eu entrei no IPC e assumi a organização na condição de Interventor judicial.

Isso foi por volta das quatorze horas. Eu estava acompanhado de algumas pessoas que foram juntas dar o seu apoio na tomada de posse. Lembro-me como se fosse hoje, quando numa reunião com funcionários e professores do IPC, alguém dizendo: "você não vai aguentar mais de três meses nesta tarefa".

Ainda bem que o prognóstico daquela pessoa falhou. Três anos já se passaram e hoje eu posso afirmar com segurança que ao longo deste período foram muitas conquistas e avanços significativos na busca da recuperação global do IPC.

Recentemente, lancei um "Balanço dos três anos da intervenção judicial", onde destaco as principais mudanças, conquistas e os principais desafios que ainda precisam ser definitivamente superados.

Neste documento de quase trinta páginas, assinalo deforma transparente e com convicção a situação da dívida com a Copel e a Sanepar. Ali deixo claro que sem uma negociação política com a participação do Governo do Estado, do Governo Municipal, das duas companhias credoras e do IPC, esta situação só tende a se agravar ainda mais. Afinal, trata-se de mais de um milhão e meio de reais que vem se acumulando desde 2001.

No dia de ontem esteve no IPC o atual Deputado Federal e candidato a vice na chapa de Luciano Ducci, candidato a prefeito pela Prefeitura de Curitiba, apoiado pelo Governador Beto Richa. Na ocasião, ele assumiu o compromisso de buscar junto as duas companhias uma maneira de resolver, politicamente, a situação desta dívida. O pedido para que Bueno seja o mediador desta negociação foi feito pelo Secretário da Secretaria Especial dos Direitos das Pessoas com Deficiência da Prefeitura de Curitiba, Iraja de Brito.

Estou trazendo nesta data a questão da dívida com a Copel e a Sanepar, porque foi até o momento a única coisa que não consegui dar praticamente nenhum passo. Por isso, sem dúvida, hoje, este é o principal desafio que precisa ser definitivamente atacado e superado.

Mas, eu não poderia marcar esta data sem deixar de reconhecer e realmente agradecer todas as pessoas e instituições que estiveram ao meu lado e apoiaram o processo de recuperação do IPC. Agradeço inclusive as criticas dos meus adversários, porque elas também foram e continuam sendo importantes no processo de construção do Novo IPC.

Sem o apoio e as criticas dessas valorosas pessoas, talvez eu realmente não tivesse aguentado os três meses iniciais. Por isso, nesta data eu não comemoro os três anos de intervenção, mas os três anos iniciais de uma nova fase na vida do IPC. Uma fase renovada, muito mais vigorosa, voltada para o futuro da humanidade.

Por isso, mais uma vez o meu muito obrigado a todos que estão juntos nesta empreitada. Ao final disso tudo, só haverá um vitorioso: o novo Instituto Paranaense de Cegos.

Professor Enio Rodrigues da Rosa.

Diretor administrativo do IPC.

segunda-feira, 17 de setembro de 2012

IPC terá moderno consultório oftalmológico

Logo o IPC terá todos os equipamentos necessários para estruturar o seu consultório oftalmológico. O dinheiro para isso já está garantido pelo Governo Federal, através de uma emenda destinada pelo Deputado Federal Dr. Rosinha, do PT.

Como o IPC não poderia receber o recurso diretamente, por conta de um Decreto da Presidenta Dilma, do ano passsado, proibindo o repasse de dinheiro às ONGS, o dinheiro foi destinado a Secreraria Municipal de Saúde de Curitiba. Na semana passada, uma equipe do IPC e da Secrearia de Saúde, dentro do prazo previsto, lançaram no Sistema do Ministério da Saúde, a relação dos equipamentos que deverão ser comprados com o valor de R$ 100.000 (Cem mil reais).

Esta iniciativa faz parte do esforço coletivo de dotar o IPC das condições materiais necessárias para transformar-se num "Ponto de atenção a saúde" das pessoas com deficiência, conforme define a Portaria N. 793 de abril de 2012, do Ministério da Saúde.

Depois de montado o consultório, precisamos iniciar outra luta para conseguirmos um médico oftalmo credenciado pelo Sistema Único de Saúde - SUS. Em conjunto com a Secretaria Municipal de Saúde, precisamos com urgência encontrarmos uma maneira de encurtarmos consideravelmente o tempo de espera para se conseguir uma consulta com oftalmologista.

Esta é uma das principais reivindicações que os familiares das pessoas com deficiência visual apresentam. Diante disso, de acordo com o Diretor do IPC, o Professor Enio Rodrigues, para fortalecer esta luta, vamos nos reunirmos com as outras entidades de Curitiba da área visual e vamos buscar somarmos esforços na concretização deste objetivo.

Antecipadamente, deixamos aqui os nossos agradecimentos ao Deputado Dr.Rosinha e a Secretaria de Saúde de Curitiba. Até o momento, vencemos apenas duas etapas do processo. Ao final, esperamos que realmente tudo seja concluído com sucesso.

quarta-feira, 4 de julho de 2012

Direito às bengalas é discutido em reunião com representantes da Saúde e das ações de proteção especial

No último dias 03 de julho, os representantes do IPC, o Professor Enio Rodrigues (foto), Diretor Geral da Instituição e a Enfermeira Ana Paula, participaram de uma reunião com as Coordenadoras das ações relativas as pessoas com deficiência e da proteção especial, da Secretaria Municipal da saúde de Curitiba/Pr.
Na pauta a questão do direito de acesso as bengalas por parte das pessoas cegas. A iniciativa da reunião foi do Instituto Paranaense de Cegos, argumentando que tem pessoas cegas que estão deixando de fazer o processo de reabilitação por falta das bengalas.
Na opinião do Professor Enio, "a reunião serviu para confirmar que a Secretaria de Saúde ainda não tem nada organizado no que diz respeito a garantia da distribuição das bengalas." Ele avalia o encontro como positivo porque pelo menos este assunto entrou definitivamente na pauta. Os representantes da saúde assumiram o compromisso de tomar providências imediatas para resolver o assunto trazido pelo IPC.
O Professor Enio indaga: "se as pessoas com deficiência visual de Curitiba, capital do Estado, estão tendo o direito de acesso as bengalas negado, imagine então as pessoas cegas ou com baixa visão dos municípios do interior? Enquanto as pessoas cegas deste país não têm garantido nem mesmo uma simples bengala, o Governo Federal pretende gastar mais de cem milhões de reais na estruturação de centros de treinamento de instrutores de cães-guia. Há uma inversão de prioridade na ordem das coisas e uma total falta de responsabilidade dos governantes em relação as reais e verdadeiras necessidades das pessoas cegas."

quarta-feira, 20 de junho de 2012

IPC acolhe evento “Doe Calor”



Instituto Paranaense de Cegos – IPC, acolheu em 18 de junho, o evento “Doe Calor”, campanha realizada pela Fundação de Ação Social –FAS, Instituto Pro Cidadania de Curitiba - IPCC e Prefeitura Municipal de Curitiba. Onde foi entregue centenas de cobertores as organizações presentes. Neste dia o IPC, foi uma das organizações contempladas com a doação, recebendo um total de 200 cobertores.O evento contou com a presença de autoridades e diversas organizações de Curitiba que prestam serviços de assistência social aos segmentos de idosos, pessoas com deficiência e crianças e adolescentes.
A condução do ato ficou ao encargo do Supervisor da FAS Matriz Sr. Adriano Guzzoni. O Prof. Enio Rodrigues da Rosa representou o IPC e agradeceu o apoio dado pela FAS e agradeceu a presença de todos/as.

terça-feira, 15 de maio de 2012

Conade defende regulamentação dos direitos das pessoas com deficiência



O presidente do Conselho Nacional da Pessoa com Deficiência (Conade), Moisés Bauer, afirmou, nesta segunda-feira (14), que é imprescindível a aprovação e regulamentação do Estatuto da Pessoa com Deficiência, apresentado no ano 2000 na Câmara dos Deputados. O Estatuto tem como finalidade promover a integração social da pessoa portadora de deficiência no mercado de trabalho e na formação profissional.
Moises Bauer participa da audiência pública sobre o Plano Viver Sem Limites e o Estatuto da Pessoa com Deficiência, promovida pela Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH). Segundo ele, é preciso fazer um debate profundo a respeito da capacidade legal da pessoa com deficiência. O estatuto, em sua opinião, é o mais adequado, mas é preciso fazer alteração no texto, adequando as mudanças de acordo com a Convenção Internacional sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência.

- Precisamos regulamentar o estatuto, para atender os anseios das pessoas com deficiência – ressaltou.
O presidente do Conade informou ainda, que o conselho tem percebido ações concretas do Plano Viver Sem Limites, que tem o objetivo de promover, por meio da integração e articulação de políticas, programas e ações, o exercício pleno e equitativo dos direitos das pessoas com deficiência, nos termos da Convenção Internacional. - O plano, apesar de jovem, é um marco positivo para o cenário político das pessoas com deficiência na esfera federal. Percebemos uma satisfação intensa e uma mobilização envolta do tema. – afirmou Bauer.

Publicado Segunda-Feira, 14 de Maio de 2012 | CenárioMT com Agência Senado

domingo, 29 de abril de 2012

Encontro no IPC promove e orienta o planejamento pessoal


No dia 24 de abril realizamos, em parceria com a Pontifícia Universidade Católica, o evento "Planejamento Estratégico Pessoal, Familiar e Profissional". O encontro, aberto a jovens e adultos, foi organizado pelo professor Denis Alcides Rezende, que aproveitou a ocasião e trouxe também, alunos do curso de Pós Graduação em Gestão Urbana e Administração da PUC para colaborarem e participarem da ação.
O encontro foi aberto a pais, familiares, amigos e professores que trabalham e frequentam o IPC.
A proposta era desenvolver nas pessoas, o hábito de planejamento antecipado, voltado para atingir metas  em  sua vida  pessoal, familiar e profissional.
Ao final do encontro, todos puderam confraternizar com um lanche oferecido pelo IPC.

Fotos: Danile Pedrozo

sábado, 21 de abril de 2012

IPC recebe a visita da primeira dama e presidente da FAS

No dia 19 de abril, recebemos a visita da primeira dama e Presidente da FAS - Fundação da Assistência Social do Município de Curitiba, a Sra. Marry Ducci.
Acompanhada da sua assessoria, do Professor Enio Rodrigues, Diretor do IPC e da Professora Idamaris S. Costa, Diretora da Escola, Marry conheceu todas as dependências da instituição.
Depois de conversar com alunos, professores e funcionários, ela dirigiu-se até ao nosso auditório, onde teve a oportunidade de falar aos presentes. Na ocasião, Ducci agradeceu a acolhida e também manifestou seu apoio às mudanças que estão sendo feitas no IPC.
Para o Professor Enio, "a visita de uma autoridade como dona Marry Ducci, só reforça e engrandece ainda mais o trabalho que vem sendo realizado pela equipe do IPC."

Foto: Danile Pedrozo

sexta-feira, 20 de abril de 2012

Audiência Pública para discussão do Anteprojeto do Estatuto da Pessoa com Deficiência do Paraná.

Na próxima semana, dia 26 de abril, quinta-feira, das 13h30 às 18h acontecerá na Associação Paranaense do Ministério Público (Rua Mateus Leme, n 2018 - Centro Cívico), Audiência Pública para discussão do Anteprojeto do Estatuto da Pessoa com Deficiência do Paraná.
Audiência é aberta a participação e o documento ainda pode receber contribuições. 
Se você ainda não conhece o documento, acesse o link abaixo onde encontra-se a minuta de Anteprojeto de lei que propõem a criação do Estatuto da Pessoa com Deficiência, já com as alterações incluídas:
Caso você tenha novas sugestões para o documento, não se esqueça de levá-las por escrito.

quinta-feira, 19 de abril de 2012

Mãos à horta!



Começamos em março deste ano o projeto "Mãos à Horta", como estratégia para ampliar e diversificar a programação das Atividades da Vida Autônoma (AVA) e sob a coordenação da Professora Regina Celia Kiatkoski, construímos uma horta orgânica  vertical utilizando garrafas pet. 
A horta deixou o IPC mais verde e está diversificando nosso consumo de hortaliças e vegetais.
Através deste projeto pretende-se despertar o interesse das crianças por legumes, incentivar o cultivo de hortas domésticas por meio da distribuição de mudas. Plantar e cuidar da horta também é uma boa oportunidade para conhecer e conviver com vegetais, com terra e de falarmos sobre meio ambiente e interagir com os alunos em diversas atividades interdisciplinares.


Fotos: Danile Pedrozo e Mônica Alves

terça-feira, 10 de abril de 2012

segunda-feira, 9 de abril de 2012

Projeto "Ver com as Mãos" faz oficina para professores.


No dia 28 de março aconteceu o primeiro curso de capacitação do Projeto Ver com as Mãos, do Instituto Paranaense de Cegos, apoiado pelo Criança Esperança. No dia, nossa oficineira, aluna da Faculdade de Artes do Paraná, e as professoras de Arte do Instituto Paranaense de Cegos puderam conhecer um pouco mais sobre o Ensino da Arte para Deficientes Visuais com a prof.ª e coordenadora do projeto Diele Pedrozo.
Discutiu-se sobre a metodologia e objetivos do projeto e foram feitas dinâmicas para que os participantes videntes pudessem vivenciar como uma pessoa com deficiência visual faz a leitura de uma imagem em relevo. Sempre lembrando que atividades como estas não tem intenção de "simular" a sensação da cegueira, mas sim, para que a pessoa compreenda o processo de raciocínio que envolve compreender uma imagem usando o tato.

terça-feira, 3 de abril de 2012

Representantes do IPC e o Vereador Pedro Paulo fazem reunião na Secretaria de Obras da Prefeitura de Curitiba.

Na última segunda-feira, dia 02 de abril, representantes do IPC, acompanharam o Vereador Pedro Paulo, em visita a Secretaria de Obras da Prefeitura de Curitiba.
Na ocasião, o Diretor do IPC, o Professor Enio Rodrigues, agradeçeu a colaboração da Secretaria de Obras, pelo trabalho realizado no estacionamento da instituição, quando da colocação de payver. Para a execução desta obra, o IPC comprou o material e a Secretaria entrou com o serviço de colocação do piso.
Outro motivo da visita, diz respeito a urgente necessidade de reformas nas calçadas no em torno do IPC. O projeto já foi elaborado por arquitéta voluntária da instituição e aprovado pelo IPUC. Reuniões nesse sentido já estão acontecendo. De acordo com o Professor Enio, "estamos aqui acompanhado do Vereador Pedro Paulo, para reforçar junto ao Secretário a decisão e agilização das obras".
Além disso, o Diretor do IPC fez outra observação ao Secretário e ao próprio parlamentar. Segundo Rodrigues, as calçadas que já foram reformadas, utilizando-se dinheiro público, em sua grande maioria, não estão obedecendo as exigências legais. Se o objetivo das reformas era garantir as condições de acessibilidade previsto na legislação, isso não vem sendo respeitado, concluiu ele.

Equipe de Coordenadores do IPC faz curso de capacitação em Planejamento e Gestão.

Nessa semana, a Rummos concluiu o primeiro módulo do Curso de Capacitação em Planejamento e Gestão de Projetos para a equipe de coordenadores do Instituto Paranaense de Cegos (IPC), em Curitiba (PR). O tema do primeiro módulo foi a gestão de projetos orientada para resultados, utilizando a metodologia do Marco Lógico. Os coordenadores de programas e os gestores do IPC trabalharam o desenho de projetos a partir de uma perspectiva que prioriza os propósitos e finalidades dos investimentos.
Durante as nove horas de capacitação neste primeiro módulo, os participantes aprenderam sobre os conceitos do Marco Lógico e sobre como pode ser utilizado para orientar a reflexão e a elaboração de projetos com maior clareza e objetividade. O curso apresentou aos participantes ferramentas de diagnóstico e análise situacional, destacando a importância de identificar com atenção os problemas que serão trabalhados, reconhecer as potencialidades e as limitações da organização que vai desenvolver o projeto e as oportunidades e os desafios que o cenário oferece para facilitar o alcance dos objetivos. Por fim, os coordenadores e gestores do IPC aplicaram os conceitos e as ferramentas na prática, acompanhando o desenho de um projeto utilizando o Marco Lógico.
O próximo módulo do Curso de Capacitação em Planejamento e Gestão de Projetos vai ser de Comunicação Estratégica. A equipe ainda vai participar dos módulos de Planejamento Estratégico e Monitoramento e Avaliação até o fim do ano.
A formação dos coordenadores e gestores do Instituto Paranaense de Cegos (IPC) é parte do Projeto Novo IPC, de reestruturação e planejamento estratégico do IPC. Que está sendo desenvolvido pela Rummos, com a parceria da D+ Eficiente e com o apoio do Instituto HSBC Solidariedade.

sexta-feira, 30 de março de 2012

Fundo Finlandês apoia projeto de Educação do IPC

O projeto Teatralizando a Educação, do IPC, foi selecionado no Edital de 2011/2012 do Fundo Finlandês de Cooperação Local - Embaixada da Finlândia. O projeto é um desdobramento das Oficinas de Teatro (foto) realizadas ano passado no IPC como parte de um projeto financiado pela Fundação Cultural de Curitiba em parceria com a GRAFO Audiovisual.
Teatralizando a Educação tem como principais objetivos ampliar a experiência sensorial de alunos com deficiência visual, de forma a potencializar o aprendizado da língua portuguesa (comunicação e expressão) e das operações matemáticas concretas, além de promover a socialização e criação de grupos inclusivos em espaços escolares e socioculturais. Os alunos terão acesso a oficinas que vão de produção e leitura de textos a aulas de desenho e expressão corporal.
Alunos com deficiência visual, de maneira geral, interagem pouco em ambientes escolares e socioculturais, onde ocupam o papel de ouvintes com poucas oportunidades de se expressar. Esse hiato no processo de socialização gera uma série de problemas que comprometem a trajetória acadêmica e social desse alunos. O projeto, através das técnicas de formação teatral, criará oportunidades para que esses jovens possam desenvolver habilidades cognitivas e intelectuais capazes de ampliar suas oportunidades de interação social e inclusão. Além de atender diretamente aos alunos, o projeto pretender envolver familiares e professores.
Estão previstas, ainda a sistematização e divulgação da metodologia e das estratégias implementadas, para que outras instituições voltadas para educação inclusiva, especialmente as que atendam pessoas com deficiência visual, possam fazer uso desse modelo e tecnologia.


terça-feira, 20 de março de 2012

IPC celebra convênio de cooperação com a FAPAR - Faculdade Paranaense

O IPC e a FAPAR assinaram, na tarde de hoje, convênio de cooperação técnica. No acordo caberá ao IPC realizar palestras e encontros que promovam e oriente sobre educação inclusiva e temáticas afeitas a acessibilidade.

Em contra partida, o IPC será campo de estágio supervisionado dos cursos de Enfermagem, Fisioterapia, Contabilidade e Direito da FAPAR.

A FAPAR - Faculdade Paranaense é uma instituição tradicional, pertencente ao Grupo Objetivo de São Paulo com 80 faculdades no Brasil todo e mais de 360 mil alunos.

segunda-feira, 19 de março de 2012

Reunião avalia Serviço de Apoio Itinerante

No último dia 16 de março, a Escola/Centro de Atendimento Educacional Especializado, mantido pelo IPC, promoveu um encontro para discutir o Serviço de Apoio Itinerante.

O apoio itinerante é prestado por um professor (a) especializado na área da deficiência visual, visando auxiliar as escolas no processo de inclusão dos alunos cegos e com baixa visão matriculados nos estabelecimentos de ensino da rede regular.

Os participantes discutiram três pontos:

a) A garantia do material adaptado (livros, textos, tabelas, mapas, etc. em braille e livros, textos e outros materiais com caractéris ampliados).

b) O apoio ou reforço escolar. Este serviço consiste no suporte que o Centro do IPC oferece aos alunos cegos que apresentam dificuldades de aprendizagem em alguma disciplina (matemática, português, história, etc.).

c) Os tipos e formas de assessoria que o professor itinerante pode prestar dentro da escola, buscando garantir que os alunos cegos tenham assegurados os recursos pedagógicos e professores preparados durante as suas aulas.
  
O IPC pretende proporcionar outros momentos como este, já que muitas dúvidas e esclarecimentos sobre a realidade dos alunos cegos, podem ser dirimidas nessas atividades pedagógicas.

Reunião discute obras na calçada do IPC

No último dia 14 de março, foi realizada no IPC, uma reunião com a presença de representantes da Secretaria de Obras da Prefeitura de Curitiba, da Secretaria Especial dos Direitos das Pessoas com Deficiência, do IPUC e do IPC. Na pauta,  a situação da calçadas no em torno da instituição.
Como resultado da reunião, saíram dois encaminhamentos: 
1 - fazer uma última revisão do projeto técnico, objetivando realizar os ajustes finais; e
2 - a Secretaria de Obras irá concluir o orçamento que já foi solicitado, com a intenção de verificar o custo financeiro das obras.
Além disso, outras duas conclusões também foram consenso: 1 - realmente existe a necessidade da realização das obras; e 2 - a necessidade de fazer dessas obras, um projeto piloto modelo em termos de acessibilidade, não apenas para as pessoas cegas.´

sexta-feira, 9 de março de 2012

IPC sedia lançamento do Selo Comemorativo da “ Fundação Dorina Nowill para Cegos ”

Dia 12 de março, o IPC sediará e participará do lançamento do Bloco Comemorativo - Emissão Especial "Fundação Dorina Nowill para cegos/SP" no Paraná. Os blocos comemorativos circularão em peças filatélicas e em correspondências por todo mundo. Será uma tiragem de 100 mil selos e duas estampas,  uma com o rosto de Dorina com uma técnica de relevo que possibilitará a identificação do seu semblante através de contato táctil e a outra estampa apresenta a imagem de um menino deficiente visual.  Na solenidade, marcada para às 15:00h, estarão presentes o Sr. Areovaldo Figueiredo, Diretor Regional dos Correios no Paraná, Ênio Rosa e Ana Valente, Diretor Executivo e a Coordenadora de Programas do IPC.

Reunião discutirá revitalização das calçadas do entorno do IPC.

Na próxima quarta-feira, dia 14, às 14h30m, na Secretaria de Obras da Prefeitura de Curitiba, haverá uma reunião, onde será discutido a revitalização das calçadas do em torno do IPC.

Estarão presentes os representantes do IPC, do IPUC, da Secretaria de Obras e da Secretaria Especial dos Direitos da Pessoa com Deficiência.

O IPC, com a colaboração de uma arquitéta voluntária, já elaborou um projeto e apresentou ao município, propondo tal revitalização. Na opinião do Professor Enio Rodrigues, Coordenador Executivo do IPC, caso o projeto seja executado na sua integralidade, isso representará uma importante conquista e um avanço significativo, vez que facilitará muito as condições de locomoção das pessoas cegas nas proximidades da instituição.

segunda-feira, 5 de março de 2012

COEDE/PR se reúne para discutir Estatuto da Pessoa com Deficiência

Nas próximas quinta e sexta-feira, dias 08 e 09 de março o Conselho Estadual dos Direitos da Pessoa com Deficiência - COEDE/PR, estará novamente reunido. Na pauta, a discussão sobre a proposta do
estatuto da pessoa com deficiência do Estado do Paraná.
Durante os dois dias, os conselheiros vão sistematizar todas as propostas recebidas através da consulta feita pela internet. Na sequencia, elas serão incorporadas ao texto do estatuto ou descartadas.
Depois de aprovada, a nova proposta do estatuto será submetida outra vez a discussão, desta vez, porém, nas audiências públicas que serão realizadas em algumas regiões do Estado. As datas e locais dessas audiências ainda serão marcadas pelo COEDE.

domingo, 4 de março de 2012

Nós no País Imaginário

Alunos do Instituto Paranaense de Cegos fizeram uma visita mediada a exposição "País Imaginário" da artista paranaense Milla Jung no Museu da Fotografia do Solar do Barão. A visita que foi previamente programada pela Prof.ª de Arte Diele Fernanda, contou com a capacitação da equipe de mediação do museu para atender aos alunos. A exposição contou com 10 áudios de fotografias escolhidas pela artista que foram descritas com diferentes vozes. Situações, histórias, cenas  foram atentamente ouvidas pelos alunos que discutiram os áudios e ao final da exposição, como sugestão da artista, puderam imaginar, desenhar e criar as imagens ouvidas. Além de visitar a exposição os alunos puderam ainda conhecer o prédio histórico e a história do Barão de Serro Azul. Visitas como estas fazem parte das atividades do Programa de Comunicação e Cultura do IPC,  que em breve também promoverá uma agenda cultural no próprio Instituto. Aguardem!

sábado, 11 de fevereiro de 2012

" A promulgação desta Lei trará enormes prejuizos às pessoas cegas", sobre a Lei que classifica como deficientes visuais pessoas com visão monocular

Não posso condenar diretamente o Governador Beto Richa com a promulgação da Lei Estadual nº 16.945/2011, que classifica a visão monocular como deficiência visual em todo o Paraná, talvez ele esteja mesmo bem intencionado com o gesto. No entanto, posso e devo condenar a assessoria do Governador que não lhe orientou corretamente, já que antes da promulgação da Lei deveria ter enviado a matéria ao Conselho Estadual dos Direitos das Pessoas com Deficiência - COEDE, para discussão e parecer sobre o assunto.
Ao não orientar corretamente o Governador, sua assessoria induz o mandatário maior do Estado em dois erros políticos com consequências na avaliação pública do governo:

a) Ao deixar de ouvir o COEDE, não reconhece a legitimidade política e legal desta instância, criada justamente com o objetivo de discutir assuntos relacionados com os interesses das pessoas com deficiência.

b) Ao contentar algumas pessoas com visão monocular, descontentou e prejudicou diretamente todas as pessoas cegas do Estado do Paraná.
  
Diante da gravidade desta decisão, na condição de conselheiro representando a área visual no COEDE, pedi para pautar o assunto na próxima reunião do colegiado, cuja data esta prevista para o dia 10 de fevereiro.
  
Na ocasião, pretendo convencer os conselheiros (as) de que a promulgação desta Lei trará enormes prejuizos às pessoas cegas, principalmente daquelas que estão buscando ingressar no mercado de trabalho e no  serviço público através de concursos.
  
Professor Enio Rodrigues da rosa.
Diretor Administrativo do IPC.

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

IPC e Escola de Educação e Humanidades da PUC/PR promovem Curso de Letras Português-Espanhol para alunos com deficiência visual

Curso de Letras Português- Espanhol


        “Os Imprescindíveis” – Bertolt Brecht
         Há homens que lutam por um dia e são bons.
         Há outros que lutam por um ano e são melhores.
         Há outros, ainda, que lutam por muitos anos e são muito bons.
Há, porém, os que lutam por toda a vida
Estes são os imprescindíveis.

 “Los Imprescindibles” _ Bertolt Brecht
 Hay hombres que luchan por un día y son  buenos.
 Hay otros que luchan por un año y sonmejores.
 Hay otros, incluso, que luchan por muchos años yson muy buenos.
Aunque, hay otros que luchan toda la vida
Estos son los imprescindibles.

Este projeto contempla as relações existentes entre a sociedade e a necessidade da inclusão das pessoas com deficiências visuais nesta sociedade multicultural, de diferentes linguagens, muitas vezes preconceituosa, procurando valorizar o indivíduo como ser humano capaz de vencer suas limitações, buscar melhores condições de integração na vida em sociedade. Tem por finalidade integrar pessoas com deficiência visual ao conhecimento de uma língua estrangeira, a língua espanhola. Pois o conhecimento da língua, da cultura e da literatura espanhola poderá ser o caminho deste universo fantástico para o conhecimento da história, do modo de vida, da gastronomia, das cidades, das festas populares e dos costumes do povo espanhol.
As instituições implicadas neste projeto são a Pontifícia Universidade Católica do Paraná-PUC, mais especificamente a Escola de Educação e Humanidades (Curso de Letras) e o Instituto Paranaense dos Cegos-IPC. Participarão do desenvolvimento do projeto o Núcleo de Línguas da PUC coordenado pela professora Ane Cibele Palma, a professora Roseli Temporal Habith Martin, professora do Curso de Letras, como orientadora e o ex-professor de Língua Espanhola da PUC Cayo Miguel Angel Martin Cristovão.


Este proyecto contempla las relaciones que  hay entre la sociedad y la necesidad de la  inclusión de los discapacitados visuales en estasociedad multicultural, de diferentes lenguajes, muchas veces, preconceptuosos, buscando dar valor al individuo, como ser humano capaz de vencer sus limitaciones,  buscar mejores condiciones de integración en la ida en sociedad.Este proyecto tiene como finalidad integrar a personas com discapacidad visual al conocimiento de una lengua extranjera, la lengua española. Porque el conocimiento de la lengua, de la cultura y de la literatura española podrá ser el camino de este universo fantástico para el conocimiento de la historia, del modo de vida, de la gastronomía, de las ciudades, de las fiestas populares y de las costumbres del pueblo español.  Las instituiciones implicadas en este proyect son la Pontificia Universidad Católica de  Paraná – PUC, específicamente la Escuela de Educación y Humanidades (Curso de Letras) y el Instituto Paranaense de Ciegos - IPC. Participarán en el desarrollo del proyecto el Núcleo de Lenguas de la PUC coordinado por la profesora Ane Cibele Palma, la profesora Roselí Temporal Habith Martín, profesora en el Curso de Letras, como orientadora y el ex-profesor de Lengua  Española de la PUC, Cayo Miguel Ángel  Martín Cristóbal.

Objetivo Geral
Possibilitar o estudo da língua espanhola para os deficientes visuais, valorizando a diversidade cultural existente entre falantes da língua espanhola através de atividades específicas e de  projetos especiais.


Objetivo General
Posibilitar el estudio de la lengua española para los discapacitados visuales, valorizando la diversidad cultural existente entre los hablantes de la lengua española, a través de actividades específicas y de proyectos especiales.


Objetivos Específicos


  1. Pesquisar estratégias e atividades para o desempenho docente.
  2. Vivenciar a realidade do deficiente visual possibilitando o contato com a língua espanhola.
  3. Aplicar e desenvolver metodologias atuais e inovadoras que possibilitem o aprendizado eficiente  da língua espanhola.
  4. Vivenciar as habilidades de falar, ouvir, ler e escrever em espanhol.


Objetivos Específicos


  1. Investigar estrategias y actividades para el  desempeño docente.
  2. Vivenciar la realidad del discapacitado visual haciendo posible el contacto con la lengua española.
  3. Aplicar y desarrollar metodologías actuales e innovadoras que hagan posible el aprendizaje eficiente de la lengua española.
  4. Vivenciar las habilidades de hablar, oír, leer y escribir en español.


Fundamentação Teórica

Segundo o Estatuto da Pessoa com Deficiência no seu Art. 36, Cap. IV, a educação é direito fundamental da pessoa com deficiência e será prestada visando o desenvolvimento pessoal, a  qualificação para o trabalho e o preparo para o exercício da cidadania,  com base no Projeto de Lei nº6/2003, que trata da Pessoa com Deficiência e tem como objetivo assegurar, promover e proteger o exercício pleno e em condições de  igualdade dos direitos das pessoas com deficiência,visando sua inclusão social e cidadania participativa plena e efetiva; e também na  finalidade do Instituto Paranaense dos Cegos, fundado em 1939, que elabora e desenvolve todas  as suas ações com o objetivo de contribuir com a formação social das pessoas cegas e de baixa  visão, de modo que vivam e convivam na  sociedade como cidadãs plenas, exerçam seus direitos e desenvolvam suas capacidades; o presente projeto pretende atuar como forma de  possibilitar a pessoa com deficiência tenha condições  para o aprendizado de uma língua estrangeira,no caso específico a língua espanhola.

A presente proposta de ensino de uma língua estrangeira, especificamente o espanhol, para os deficientes visuais promove tanto a inclusão social como a lingüística. No mundo globalizado, é necessário o domínio de línguas estrangeiras para lidar com situações cotidianas e também para  o acesso a conhecimentos que possam contribuir para a  sua promoção pessoal e como cidadão. A metodologia adotada será o enfoque comunicativo que parte de diferentes teorias; mas todas elas vêem a língua como um instrumento de comunicação.

O objetivo desta metodologia é alcançar a competência comunicativa (Hymes); complementada pelas quatro dimensões expostas por Canale e Swain; com a teoria das funções de Halliday (que é dominar as funções lingüísticas e expressar significados com elas); os aportes da filosofia da linguagem com os
atos da fala e Widdowson, que se ocupa da relação entre os sistemas lingüísticos e sua importância comunicativa no texto e no discurso. Neste enfoque contamos com princípios que procedem da prática e de atividades que implicam numa comunicação real e na que usamos a língua para realizar tarefas que impulsionam a aprendizagem. Nela o aluno tem um papel ativo porque a língua que tem significado para o aluno favorece a aprendizagem. O uso da língua em situações reais faz com que a
aprendizagem seja mais eficaz.

Neste enfoque o professor facilita a aprendizagem e estimula a cooperação. Utiliza materiais variados e varia as formas sociais de trabalho, que pode ser individual, em duplas ou em grupos.

Far-se-á uso de tecnologia assistiva. Tecnologia Assistiva, também denominada Adaptativa ou ajuda técnica, são recursos  e serviços que visam facilitar o desenvolvimento da atividade diária por pessoas com deficiência. Procuram aumentar capacidades funcionais e, assim promover à autonomia e a independência de quem as utiliza. Infelizmente, o uso de tecnologia assistiva no Brasil ainda é restrito, tanto para instrumentos de alta tecnologia, como para os menos sofisticados. Neste projeto se utilizará o computador e programas que auxiliem e facilitem o aprendizado, como Dosvox, Locutor. Serão desenvolvidas as quatro habilidades básicas: expressão oral, compreensão auditiva, expressão escrita e
compreensão de leitura. As destrezas ou habilidades que darão suporte para a aprendizagem  serão a expressão oral e a compreensão auditiva. A expressão escrita utilizará o método braille e  também textos digitados com o auxílio do computador. Para possibilitar o aprendizado da leitura serão utilizados textos em braille. Dentro da perspectiva sócio-interacionista de Vygotsky, a fala, entendida como instrumento ou signo, tem um papel fundamental de organizadora do pensamento e dos processos psicológicos superiores e a sua função primordial é a Comunicação (Van der Veer e Valsiner, 1996). Para os cegos a linguagem adquire uma importância ainda maior, já que eles não podem contar com os recursos visuais que facilitam o entendimento.
É interessante também observar a importância da ortografia para os alunos cegos porque a visualização mental da palavra facilita a memorização. Vygotsky afirmava que não é somente através da aquisição da linguagem falada que o indivíduo adquire formas mais complexas de se relacionar com o mundo que o cerca. O aprendizado da linguagem escrita representa um novo e considerável salto no desenvolvimento da pessoa (Rego 1995). O uso da escrita na língua estrangeira é necessário para consolidar a aprendizagem, para expandir o conhecimento e, acima de tudo, como forma de Comunicação.



Fundamentación Teórica


Según el Estatuto de la Persona con Discapacidad en  su Art. 36, Cap. IV, la educación es un derecho fundamental de la persona con discapacidad yse dará objetivando el desarrollo personal, lacualificación para el trabajo y la preparación para elejercicio de la ciudadanía, con base en el Proyecto de la Ley n. 6/2003, que trata de la Persona con Discapacidady tiene como objetivo asegurar, promover yproteger el ejercicio pleno y en condiciones deigualdad de los derechos de las personas con discapacida,teniendo como meta su inclusión social y ciudadanaparticipativa plena y efectiva; y también está en lameta del Instituto Paranaense de Ciegos, fundado en 1939, que elabora y desarrolla todas las acciones con el objetivo de contribuir a la formación social de las personas ciegas y de baja visión, de modo que vivan y convivan en la sociedad como ciudadanos plenos, ejerzan sus derechos y desarrollen sus capacidades; este proyecto pretende actuar como forma de hacer posible que  las personas discapacitadas puedan aprender uma lengua extranjera, en este caso, la lengua española.

Esta propuesta de enseñanza de una lengua extranjera, específicamente El español, para los discapacitados visuales promueve tanto la inclusión social como la lingüística. En el mundo globalizado, es necesario el dominio de lenguas extranjeras para lidiar con situaciones cotidianas y también para el acceso a conocimientos que puedan contribuir a su promoción personal y como ciudadano. La metodología adoptada será el enfoque comunicativo que parte de diferentes teorías; pero todas ellas ven la lengua como instrumento de  comunicación.

El objetivo de esta metodología es alcanzar la competencia comunicativa (Hymes); complementada por las cuatro dimensiones expuestas por Canale y Swain; con la teoría de las funciones de Halliday (que es dominar las funciones lingüísticas y expresar significados con ellas); los  aportes de la filosofía del lenguaje con los actos del habla y Widdowson, que se ocupa de la relación entre los sistemas lingüísticos y su importancia comunicativa en el texto y en el discurso. En este enfoque contamos con principios que proceden de la práctica y de actividades que implican uma comunicación real y en la que usamos la  lengua para realizar tareas que impulsan el aprendizaje. En esta tarea el alumno tiene un papel activo porque la lengua que tiene significado para el alumno favorece el aprendizaje. El uso de la lengua en situaciones reales hace que el aprendizaje sea más eficaz. En este enfoque el profesor facilita el aprendizaje y estimula la cooperación. Utiliza materiales variados y varía las formas sociales de trabajo, que puede ser individual, en parejas o en grupos.

Se hará uso de tecnología asistiva. Tecnología Asistiva, también denominada Adaptativa o ayuda técnica, son recursos y servicios que pretenden facilitar el desarrollo de la actividad diaria por personas con discapacidad. Se busca aumentar capacidades funcionales y, así, promover La autonomía y la independencia de quien las utiliza. Desafortunadamente, el uso de tecnología asistiva en Brasil, todavía está restringido, tanto para instrumentos de alta tecnología, como para los menos sofisticados. En este proyecto se utilizará el ordenador y programas que ayuden y faciliten el Aprendizaje, como Dosvox, Locutor.

Se desarrollarán cuatro habilidades básicas: expresión oral, comprensión auditiva, expresión escrita y comprensión de lectura. Las destrezas o habilidades que darán soporte para el aprendizaje serán la expresión oral y la compresión auditiva. La expresión escrita utilizará el método braile y también textos tecleados con el auxilio del ordenador. Para hacer  posible el aprendizaje de la lectura se utilizarán textos en braille. Dentro de la perspectiva socio-interaccionalista de Vygotsky, el habla, entendido como instrumento o signo, tiene un papel fundamental de organizador del pensamiento y de los procesos psicológicos superiores y su función primordial es la comunicación (Van der Veer y Valsiner 1996). Para los ciegos el lenguaje adquiere
uma importancia incluso mayor, ya que no pueden contar con los recursos visuales que facilitan el entendimiento. Es interesante también observar la importancia de la ortografía para los alumnos ciegos porque la visualización mental de palabra facilita la memorización.

Vygotsky afirmaba que no es solo a través de la adquisición del lenguaje hablado que el individuo adquiere formas más complejas de relacionarse con el mundo que lo rodea. El aprendizaje del lenguaje escrito representa un nuevo y considerable salto en el desarrollo de la persona (Rego 1995). El uso de la escritura en la lengua extranjera es necesario para consolidar el aprendizaje, para expandir el conocimiento y, por encima de todo, como forma de comunicación.


Estrutura do Curso

O curso será de 100 (cem horas) divididos em dois módulos de 50 (cinqüenta horas). O conteúdo a ser trabalhado será baseado no Marco Comum Europeu para o ensino de línguas estrangeiras, compreendendo os níveis A1 e A2.

Haverá dois encontros semanais de 1:30 (uma hora e trinta minutos).
Início previsto para o primeiro módulo –  março/2012 e término junho/2012.
Início previsto para o segundo módulo – agosto/2012 e término novembro/2012


Estructura del Curso

El curso será de 100 (cien horas), dividido en dos módulos de 50 (cincuenta horas).

El contenido que se trabajará estará basado en el Marco Común Europeo para la enseñanza de lenguas extranjeras, comprendiendo los niveles A1 y A2.

Habrá dos encuentros semanales de 1:30 (una hora y treinta minutos).
Inicio previsto para el primer módulo - marzo / 2012 y término junio 2012.
Inicio previsto para el segundo módulo - agosto / 2012 y término noviembre / 2012



Cronograma

Matrículas – Fevereiro/2010
Início das aulas do primeiro módulo – 05 de março de 2012
Exames parciais -24 e 26 de abril de 2012
Exames finais – 26 e 28 de junho de 2012
Término do primeiro módulo – junho/2012
Renovação da matrícula – Julho/2012
Início das aulas do segundo módulo –  04 de agosto de 2012
Exames parciais – 25 e 27 de setembro de 2012
Exames finais – 27 e 29 de novembro de 2012
Término do segundo módulo – novembro/2012


Cronograma

Matrículas – Febrero / 2012
Inicio de lãs clases primer módulo – 05 de marzo de 2012
Exámenes parciales 24 y 26 de abril de 2012
 Exámenes finales – 26 y 28 junio de 2012
Término del primer módulo – junio / 2012
Renovación de matrícula – julio / 2012
Inicio de las clases del segundo módulo 04 de agosto de 2012
Exámenes parciales – 25 y 27 de septiembre de 2012
Exámenes finales – 27 y 29 de noviembre de 2012
Conclusión del segundo módulo – noviembre / 2012


Conteúdo programático

Contenido programático

- Identificación personal
- Vivienda, hogar y entorno
- Vida cotidiana
- Tiempo libre y ocio
- Viajes
- Relaciones con otras personas
- Salud y cuidado corporal
- Educación
- Compras
- Comidas y bebidas
- Servicios públicos
- Lugares: ciudad o campo
- Condiciones atmosféricas

O conteúdo será desenvolvido  através de atividades de expressão oral e escrita, da compreensão de leitura e auditiva. A competência gramatical é entendida como o conhecimento dos recursos gramaticais de uma língua e a capacidade de utilizá-los, por isso será o suporte para uma comunicação eficaz e eficiente.


El contenido será desarrollado a través de actividades de expresión oral y escrita, de la comprensión de lectura y auditiva.
La competencia gramatical se entiende como el conocimiento de los recursos gramaticales de una lengua y la capacidad de utilizarlos, por eso será el soporte para una comunicación eficaz y eficiente.



Recursos didáticos
Tornar a aprendizagem significativa e despertar o interesse em aprender são as funções básicas
dos recursos didáticos. Os alunos com deficiência visual possuem  grandes possibilidades de desenvolvimento pessoal e intelectual desde que sejam oferecidas oportunidades de aprendizagem que utilizem metodologias e recursos didáticos adequados a sua forma de perceber e sentir o meio em que
vivem. O IPC – Instituto Paranaense dos Cegos coloca a disposição sua infra-estrutura, oportunizando
sala de aula, computador, televisão, aparelho de  som e demais materiais necessários ao desenvolvimento do projeto. Também haverá uma pessoa responsável para transcrever os textos em braille. O uso da Internet será um diferencial importante para as aulas.


Recursos didácticos

Hacer el aprendizaje significativo y despertarel interés por aprender son funciones básicas de los recursos didácticos. Los alumnos con discapacidad visual tienen grandes posibilidades de desarrollo personal e intelectual, siempre que se les ofrezcan oportunidades de aprendizaje que utilicen metodologías y recursos didácticos adecuados a su forma de percibir y sentir el medio en que viven. EL IPC – Instituto Paranaens de Ciegos pone a su disposición su infraestructura, ofreciendo  el aula, el ordenador, la televisión, el equipo de  sonido y otros materiales necesarios para el desarrollo del proyecto. También tendrá una persona responsable para transcribir los textos en braille. El uso de la internet será un
diferencial importante para las clases.

Avaliação
A avaliação será continua através da atuação em classe, das atividades realizadas durante o curso.
Também constará de dois exames parciais e dois exames finais avaliando as quatro habilidades.

A freqüência exigida será de 75% para aprovação semestral.
Instrumentos de avaliação – teste oral e escrito, produção de texto, compreensão auditiva e de leitura.


Evaluación

La evaluación será continua a través de la actuación en clase, de las actividades realizadas durante el curso. También constará de dos exámenes parciales y dos
exámenes finales, evaluando las cuatro habilidades

La frecuencia exigida será de 75 % para la aprobación semestral.
Instrumentos de evaluación – examen oral y escrito, producción de texto, comprensión auditiva y de lectura.



Bibliografia

Bibliografía

CASSANY, D.; LUNA, M.; SANZ, G.”Enseñar Lengua”. Barcelona: Graó,1997.
CASTRO VIUDEZ, F., DIAZ BALLESTEROS, P. RODERO DÍEZ, I. SARDINERO FRANCO,C.” Español en marcha 1 y 2”, SGEL, Madrid, 2010.
MARCO DE REFERENCIA EUROPEO para el aprendizaje, la enseñanza y la evaluación de lenguas.
MOLL, L.C. "Vygotsky e a Educação: Implicações Pedagógicas da Psicologia Sócio-
Histórica" Editora Artes Médicas, 1996
REGO, T. C. "Vygotsky, Uma Perspectiva Histórico-Cultural da Educação" Editora
Vozes, 1995
SANCHEZ LOBATO, J.; SANTOS GARGALLO, I. “Vademécum para la Formación de Profesores” SGEL, Madrid, 2004
VEER R.V.D, VALSINER J. "Vygotsky, Uma Síntese" Edições Loyola, 1996 .