terça-feira, 25 de outubro de 2016

Caso Greca - Petição Protocolada | Pedido de Resposta | Zona Eleitoral

Ilmos. Senhores,

O IPC através de seus advogados protocolou  a Petição com solicitação de Direito de Resposta as declarações feitas pelo candidato à Prefeitura de Curitiba, Rafael Greca (PMN) na última semana.
Abaixo seguem as imagens escaneadas da Petição onde constam todas as informações bem como leis que amparam e sustentam a solicitação.













segunda-feira, 24 de outubro de 2016

Nota de Repúdio | Greca





                                                                                                NOTA DE REPÚDIO

O Diretor do Instituto Paranaense de Cegos (IPC), professor Enio Rodrigues da Rosa, repudia veementemente a forma sórdida que o candidato do Governador Beto Richa, Rafael Greca, pelo uso irresponsável, desonesto, leviano, indevido e mentiroso da imagem da instituição representante das pessoas com deficiência visual.

No horário eleitoral de sabádo a noite, o candidato Greca envolveu o nome do IPC por conta de um contrato de locação de um imóvel da instituição, doado pelo Estado ainda em 1990. De acordo com a versão mentirosa da campanha de Greca, o IPC teria dado preferência de compra do referido imóvel ao irmão do adversário do protegido do Governador Beto Richa.

 Por mais que o IPC tivesse a intenção de fazer o que foi acusado, ele está determinantemente impedido pela Lei Estadual N. 17.871 de 19 de dezembro de 2013. Basta conferir o final da redação do Artigo N. 2 deste diploma e lá consta a cláusula de inalienabilidade. Ou seja, o IPC está impedido por força da própria Lei de vender o imóvel em questão.

 No entanto, esta não é a única mentira transmitida ao público pelo candidato a prefeito Greca. Acontece que em nenhum lugar do contrato em vigor consta qualquer redação fazendo menção sobre tal preferência de compra. Ainda que assim fosse, pela Lei, o inquilino tem sempre a preferência de compra caso o proprietário pretenda vender o imóvel ocupado.

 Nos dois casos, trata-se de mentira leviana, com nítido interesse eleitoreiro e maculação da imagem do IPC. Se já não bastasse o "vómito", agora, Greca demonstra sua indiferença e desprezo com uma instituição com quase 80 anos de história de atendimento às pessoas cegas necessitadas.

 Por outro lado, cumpre esclarecer que antes mesmo de locar o referido  imóvel, o IPC consultou a Procuradoria Geral do Estado - PGE, sobre a legalidade de um eventual contrato desta natureza. Para isso, o IPC obteve 4 pareceres favoráveis, elaborados e assinados por diferentes procuradores, durante o mandato dos dois últimos governadores, respectivamente, Roberto Requião e Beto Richa.

 Além disso, o IPC também solicitou e obteve parecer favorável da Promotoria das Fundações e Terceiro Setor do Ministério Público do Estado. Neste caso, além da legalidade, foi feito pelos auditores daquela Promotoria, uma análise sobre a viabilidade técnica e financeira do atual contrato firmado entre o IPC e os investidores.

 Hoje, somente por conta deste contrato, o IPC recebe R$ 30.000 (trinta mil reais) por mês. Daqui dois anos, será R$ 40.000 (quarenta mil reais) por mês. Além disso, no local, será investido mais R$ 15.000.000 (quinze milhões de reais) em edificações, as quais ficarão incorporadas no patrimônio do IPC no final do contrato.

 Existe ainda cláusulas sociais, entre elas a construção de um espaço multiuso com mais de 150 m de área edificada, de uso exclusivo do IPC, para a realização de atividades de formação, culturais, de lazer e outras previstas no estatuto social da instituição. Isso será construído com recurso dos investidores.
 Quer dizer, o contrato de locação tem a aprovação da PGE, da Promotoria das Fundações, é de conhecimento do Governador Beto Richa e atende o previsto no parágrafo único do Artigo N. 2 da Lei N. 17.871 de 2013. Não existe nada de ilegalidade e de imoralidade, como denunciou Greca no seu horário onde deveria estar apresentando propostas para melhorar a vida das mais de 40.000 pessoas com deficiência visual de Curitiba.

 Todo o recurso obtido com a locação deste imóvel, é revertido integralmente na manutenção das atividades que beneficiam as pessoas cegas que residem na instituição e tantas outras que também são diariamente atendidas nos diversos serviços públicos  especializados.

 Quando fez a locação, o IPC estava em busca de parceiros com disposição de contribuir com o desenvolvimento da instituição. No momento de construir, são efetivamente poucos os que se apresentam e realmente demonstram interessados. No entanto, na hora de destruir todo o esforço coletivo já dedicado e com bons resultados já revelados, pessoas que nunca ajudaram com nada aparecem com suas mentiras tentando denegrir o nome do Instituto Paranaense de Cegos - IPC  e o trabalho já realizado.

 O que move os interesses sobre aquele imóvel, não são apenas eleitorais. Não é por outra razão que pessoas do governo Beto Richa, com o seu conhecimento e autorização, já fizeram várias investidas para literalmente tomar do IPC aquela área.
 Isso ainda não é tudo, porque nem mesmo a renovação do comodato do imóvel da a Av. Visconde de Guarapuava, onde a instituição encontra-se localizada desde 1946, foi renovado, mesmo com o pedido já feito há dois anos.

 Trata-se de duas áreas valiosas e o governo tem interesse de obter elas de volta para poder vender. É como disse Greca na sua denúncia: são aproximadamente R$ 53.000.000 (cinquenta e três milhões de reais). Patrimônio público com este valor, seria muito mais útil e rentável nas mãos de políticos "honestos" e "preocupados" com a coisa pública?

  Diante desta trama sórdida e mentirosa elaborada pelo candidato Greca, só resta ao IPC realizar uma entrevista coletiva com a imprensa, com a intenção de realmente mostrar a verdade dos fatos, ao contrário do que afirmou o programa eleitoral do candidato do Governo do Estado.

 A entrevista será hoje (24), às 15:00 horas, nas dependências da instituição, na Av. Visconde de Guarapuava, 4186. Na ocasião, o IPC demonstrará com documentos o quão foram mentirosas as afirmações feitas pela campanha de Greca.

                                                                                              Curitiba, 24 de outubro de 2.016.

Ênio Rodrigues da Rosa

     Diretor do IPC

terça-feira, 18 de outubro de 2016

Dia da Criança




  Em comemoração ao dia da criança as professoras da Escola Professor Osny Macedo Saldanha levaram os alunos do Ensino Fundamental ao Parque do Golinha.

   Foi uma tarde fantástica, com experiências novas em cada brinquedo.

Menino rodeado  por bolas coloridas dentro de piscina de bolinhas 
Crianças no Carrinho bate-bate que desliza dentro da piscina.
Crianças no Carrinho bate-bate que desliza dentro da piscina.


Menino desce em escorregador inflável

Menino sentado em banco no brinquedo Tombo Legal, onde se atira ao alvo e a pessoa cai na piscina de bolinhas

Menino saindo do meio das bolinhas no brinquedo Tombo Legal
Menino saltando no pula pula elástico
Menina em pula pula elástico



Crianças no b arco pirata do dinossauro

Brinquedo elevador colorido

Meninos no Labirinto com redes

Pula Pula inflável

Meninas brincando na balança 

Meninos e a professora na piscina de bolinha

Meninos brincam no brinquedo elevador

Aluna sentada no brinquedo elevador

Menino caminha no labirinto de redes

Menina desce sorrindo no  escorregador que leva até a piscina de bolinhas

Menino com as mão para cima no brinquedo elevador




quinta-feira, 13 de outubro de 2016

DIA NACIONAL DA LUTA DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA

Em comemoração ao Dia Nacional da Luta da Pessoa com Deficiência, os alunos do Colégio Curitibano Adventista Bom Retiro confeccionaram peças texturizadas inspiradas em obras de arte mundialmente conhecidas para serem apresentadas aos alunos com deficiência visual. As releituras das obras vão desde o modernismo, surrealismo, futurismo, até arte grega, romana, entre outras. (21/09 Notícias Adventistas)
Algumas destas releituras foram expostas no Instituto Paranaense de Cegos e nossos alunos puderam conhecer tais linguagens artísticas.


O acesso a qualquer obra de arte é o acesso ao conhecimento!

Foto Esquerda: Aluno toca obra de arte surrealista - um fundo azul que remete ao céu coberto de nuvens brancas de algodão. Ao centro do quadro uma flor vermelha com bastante pétalas em relevo.

Foto direita: Aluna toca obra de arte de fundo azul em forma redonda,pequenas formas douradas estão presentes na obra, entre elas uma estrela, pontos brilhantes em alto relevo .

Foto esquerda: Crianças tocam obras que representam pessoas.
Um home com camisa branca e terno azul. Em seu bolso um lenço vermelho.
Barbas e cabelos amarelos.

Foto direita: mulher de cabelos curtos e castanho avermelhados, batom vermelho. Veste uma blusa roxa e por cima um casaco amarelo.

Alunos tocam nas obras de arte.

Foto esquerda: quadro com dois egípcios com vestimentas características em linho em cores brancas, acessórios brancos, segurando abanadores.

Foto direita: quadro em tons azuis, laranja, verdes e branco que fazem fundo para pássaros pretos que parecem sobrevoar a obra. 

Quadro com uma paisagem de fundo laranja com montes verdes, um riacho e pedras.

Alunos tocaram também obras com figuras femininas famosas, como por exemplo, Frida Kahlo. Em uma reprodução em ato relevo do auto retrato de Frida. Vestida de branco com sua tiara de flores, sempre presente em seus auto retratos. 

domingo, 2 de outubro de 2016

É OURO - SOMOS TETRA CAMPEÕES!!!

SOMOS TETRA CAMPEÕES PARALÍMPICOS NO FUTEBOL DE CINCO!!!

   
 O Brasil conquistou o “ouro” olímpico com a equipe de futebol de cinco (futebol de cegos) na Paralimpíadas do Rio 2016.
    Para o Instituto Paranaense de Cegos (IPC) uma conquista histórica, pois conseguimos ser os melhores jogadores cegos de futebol do mundo.
   Além disso para o IPC uma alegria incontestável, já que dois integrantes da equipe, foram alunos da instituição.
    Tiago Silva e Maurício Tchope nos orgulharam com tamanha glória alcançada.
    Tiago Silva (21 anos), diz que: “Dia 17 de setembro ficará marcado para sempre em minha vida, pois não tenho palavras para expressar tamanha felicidade em saber que todo o esforço valeu a pena e conseguimos conquistar o lugar mais alto no pódio dentro de nosso país, na cidade maravilhosa, estou muito, muito feliz...”




    Já Maurício Tchope, (26 anos), convocado de última hora por conta de um corte na equipe, não acreditou que aquele telefonema de convocação fosse verdade e fala: “Concordei na hora, mas depois que desliguei fiquei pensando que poderia ter sido um trote”. Ele ressalta que só entendeu que seria um atleta olímpico quando recebeu outra chamada, duas horas depois, com instruções para pegar um voo no mesmo dia e se juntar à delegação.
    Nossos atletas curitibanos mostraram que o estigma e a discriminação podem ser suplantados pelo enorme potencial demonstrado nos jogos do Rio 2016.
    Parabéns “meninos”, vocês são ouro, vocês são o nosso ouro!